quarta-feira, 20 de maio de 2015

PEDRA DE MOINHO "MATEUS 18.6"



Mateus 18.6 "Entretanto, se alguém fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar".

Este texto fala de uma pedra que era usado pelas mulheres.

Engenho simples, que geralmente consiste em duas pedras circulares (uma sobreposta à outra), entre as quais se moem diversos tipos de cereal, comestíveis, debulhados, para transformá-los em farinha.  Tais dispositivos eram usados desde os primitivos tempos patriarcais, pois a esposa de Abraão, Sara, fez bolos redondos à base de “flor de farinha”. (Gên 18:6)


Usualmente eram duas as mulheres que operavam esta espécie de moinho manual. (Lu 17:35) Sentavam-se de frente uma para a outra, as duas com uma mão na manivela para fazer girar a mó superior. Uma das mulheres, com a mão livre, colocava o cereal para moer, em pequenas quantidades, na abertura da mó superior, ao passo que a outra recolhia a farinha à medida que saía da borda do moinho e caía na bandeja ou no pano estendido por baixo do moinho.



No Oriente Médio, o costumeiro moinho manual dos tempos antigos consistia em duas pedras redondas, sendo a mó superior ajustada para girar sobre a inferior. (De 24:6; Jó 41:24) Atualmente, a mais pesada pedra inferior costuma ser de basalto, e freqüentemente tem uns 46 cm de diâmetro e de 5 a 10 cm de grossura. Um pino fixo no centro da pedra inferior serve de eixo para a mó superior. A superfície moedora da pedra inferior, estacionária, é convexa, permitindo que a farinha saia pelo perímetro da mó. A superfície inferior, côncava, da mó superior ajusta-se à superfície da pedra de baixo. Uma cavidade em forma de funil, no centro da pedra superior, acomoda o pino e serve também para colocar os grãos no moinho. Perto da borda da mó superior há uma cavidade na qual se insere um pau, que serve de manivela para a mó superior.

As Escrituras falam também de moinhos maiores. Jesus Cristo mencionou “uma mó daquelas que o burro faz girar” (Mt 18:6), que talvez fosse similar àquela que o cego Sansão foi obrigado a girar para os filisteus, quando “veio a ser moedor na casa dos presos”. — Jz 16:21.

Durante o ataque de Abimeleque à cidade de Tebes, “certa mulher jogou uma mó superior na cabeça de Abimeleque e quebrou-lhe o crânio”. (Jz 9:50, 53; 2Sa 11:21) Em Revelação (Apocalipse), a repentina e derradeira destruição de Babilônia, a Grande, é comparada ao lançamento no mar de “uma pedra semelhante a uma grande mó”. — Re 18:21.