sábado, 6 de junho de 2015

PEDRA DE ESQUINA "MATEUS 21.42"

A imagem da "pedra de esquina" (também conhecida como "pedra angular")  (Mateus 21.42; Marcos 12.10 e Lucas 20,9-19). Em todas essas passagens Jesus relembra aos fariseus a passagem presente em Salmos 118,22:

"A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular".
Trata-se de uma metáfora através da qual Jesus condena os seus interlocutores, que o rejeitam, Ele que é o ponto de partida para a construção da Igreja.

Como toda metáfora, a interpretação tende a um significado elevado, mas parte de uma realidade concreta. Nesse caso tem a ver com a arquitetura das construções antigas, quando não existia o ferro e o cimento armado. O ponto de partida era a "Pedra Angular", a primeira pedra colocada na esquina, no ângulo de duas paredes. Precisava ser uma pedra importante, grande, pois teria que suportar a estrutura das duas paredes. A imagem acima pode nos ajudar a entender a metáfora. A Pedra Angular é a maior, aquela mais clara.

Nós cristãos ajudamos na construção do Novo Templo, do qual Cristo é a Pedra fundamental. Nós, como lembra 1Pedro 2,5, somos pedras vivas, apoiadas e suportadas pela pedra angular, que é Cristo.
PEDRAS ANGULARES - No hebraico zaviyyoth, termo que aparece somente no Salmo 144.12 e Zacarias 9.15. No grego, Akrogoniaios, "ângulo extremo", palavfra que figura somente em Efésios 2.20 e 1 Pedrol 2.6 (citando Isaías 28.16). 
As pedras angulares eram maciças pedras postas na esquina formada pela junção de duas paredes, unindo-as de modo mais firme do que poderia ser feito, na antiguidade, de outra maneira qualquer. Essa pedra também contribuía para fortalecer os alicerces da estrutura. 
A "pedra de remate" (no hebraico, eben roshah, ou "pedra da cabeça"), que aparece em Zac. 4.7, parece indicar que, em algumas construções, as paredes que formavam eslquina eram unidas no alto por alguma forma de pedra. O Trecho de Isaías 28.16 refere-se a uma certa pedra, que nossa versão da Bíblia em português chama de "angular", mas que no hebraico é pinnah, que era usada como laje sobre a qual uma parede era constuída, a fim de melhor ligá-la com outra, em uma esquina. Algumas vezes, essas pedras formavam duas camadas. A arqueologia tem demonstrado que a maioria das pedras angulares eram simplesmente "imensas pedras", toscas e mal formadas. Mas, a partir da época de Salomão, essas pedras eram cortadas e modeladas cuidadosamente.

FONTE:

INTERNET